sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Tempestade

Um ressoar silencioso suspenso
num coraçao endurecido pelo 
desvanecer da negritude flutuante dos
sentimentos errantes que desvendam
contrastantes tempestades galopantes .

Essa estranha claravidencia insolente
incitadora de ilusoes aglomeradas 
no mortiço abismal das sombras turvas 
entranhadas pelo amargo dos surtos que
irrompem da imaginaçao dos pensamentos.

Imensuravel precisao ,impenetravel olhar,
temerosa tempestade envolta em inquietante 
nevoa cinzenta do teu profundo sentir,desse
olhar frigido suspenso em insistente petulante
coraçao arregalado por um  pulsar frenetico .

Prodigioso coraçao ,resistente diamante 
mutante do tempo de proezas auspiciosas ,
petulantes momentos e cintilantes  pungentes
ardentes e latentes, sedento de  rebentos regelados 
pelo fragor voluvel do inevitavel destino .

Emanuel Moura 




sábado, 22 de novembro de 2014

Alma vivente

Somos como grãos de areia que voam 
em terra deserta  ,perante a nossa pequenez
 e a  grandeza da sua eternidade.
Pobre coração que albergas abismal alma
da profundeza do teu ser soam palavras mudas de um 
silencio misterioso revelador de vazios súbitos do meu ser .
Fugazes momentos submissos da escuridão
de uma alma débil como acendalha que mal crepita 
 murmúrios fugazes em forma de ecos .
São sopros ,prenúncios de clarividência 
reflexo de uma alma livre encharcada de sentimentos 
reveladores  ,suspensos num coração  sequioso.
 Alma persistente coberta de pensamentos 
envoltos em mistérios que lavam corações purificados
em gotas de lágrimas congeladas pelo tempo no nascer 
e renascer  da esperança .
Alma reveladora que em mim respira ,que me impele
e me atrai,que me fortalece e me guarda
e ilumina em cada momento da vida.

Emanuel Moura


sábado, 15 de novembro de 2014

Caminhos

Excelso firmamento
que em teu céu azul enlaças 
nuvens celestes num horizonte infinito.
Por entre prados e montes 
caminhos fulgentes de tons verdejantes
e aromas precedentes .
São trilhos minuciosos da vida 
fulgentes e resplandecentes luzes  
 esplendorosas e invisíveis do ser.
Submergido em fontes 
auscultando os sons profundos que 
movem e  transformam a infinita esperança.
Despertante coração 
humilde e conselheiro sábio e eloquente
deposito de exaltantes sentimentos .
Palpitante alma preciosa
penhorada pelo mundo ,prisioneira de um 
silencio profundo ,suspensa nas dores indizível da vida.
Longos serão os caminhos trilhados 
grandes serão os ecos doados pelo amor
poucos serão aqueles que irão compreender 
apenas os fatigados pelas pedras do caminho
encontrarão a paz no coração. 

Emanuel Moura






sábado, 8 de novembro de 2014

Momento




Na simplicidade padecente do sonho 
ouço a voz do vento que sopra sem cessar,
 anseios de esperança de amor e paz .
No acordar da aurora reluzente 
um infinito sorriso celeste contemplo
 para alem do horizonte um azul infinito.
Meus olhos rebrilham encantados 
 pela candura do orvalho da manha ,borbulham 
lagrimas pelo adornar do sopro do vento .
Por momentos aspergi de luz toda a minha alma 
de toda a iniquidade deste mundo insano
prisioneira de um coraçao ofegante.
Noite ou dia a  beleza da vida a cada instante
da natureza o primor do criador,
que adoça o meu viver.  
Sao balsamos do meu ser ,retratos da vida 
no infinito veu do tempo jubilos de esperança 
 encantados por salpicos de luz .
Serao estes nobres gestos de paz 
nascidos no meu viver ou serao apenas afagos 
da vida que ardem em meu coraçao .

Emanuel Moura 



sábado, 1 de novembro de 2014

Barca

Nessa longa viagem 
de poemas encantados por sonhos e momentos 
viajo liberto das amarras do tempo .
Nas palavras vivo emoçoes e sensaçoes 
que despontam em mim salpicos luz de nobres sentimentos 
de um coraçao que tanto ama.
Encantos engrandecidos 
por sorrisos oferecidos por palavras emergentes 
mergulhadas nos sonhos da vida.
E tempo de remar nessa barca 
da vida, navego ternamente  nesse mar infinito
onde o azul do horizonte toca no ceu .
Sao inesqueciveis momentos 
de sabedoria infinita, desnudada pelo encanto das palavras
eternizadas pelo inebriante tempo.
Suplicante pulsar, ardente 
coraçao sequioso de tanto doar nesse peito ofegante
a beleza e a suavidade de uma alma peregrina.
Sao estas as palavras de um padrinho 
que vao ao encontro de quem tanto ama ,
de um coraçao que tanto sofre ,
sao simplesmente alianças de amor 
guardadas eternamente no meu coraçao .

Emanuel Moura

O titulo Barca :
Como uma barca que sofre a furia das  tempestades assim e a vida  mil tormentos que nos fazem  padecer ,mas o melhor de tudo e que sempre existe esperança para ambas.